Menu

Professor da Uneal tem conto publicado em revista inglesa“A Ceia”, de Nilton Resende, é o conto que abre o livro 'Diabolô' e também já foi traduzido para o espanhol e para o francês

04 FEV 2019
04 de Fevereiro de 2019

O professor adjunto Nilton Resende, que ministra aulas no Campus V, Zumbi dos Palmares, ganhou mais um espaço na literatura mundial. Desta vez o escritor alagoano, teve uma matéria (conto) publicado pela revista Bookanista, da Inglaterra, na última quarta-feira, 30. A história abre o livro Diabolô lançado pela Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal/2011). 

Um biscoito, violência sutil e o sussurro do final. É esse o resumo do conto “A Ceia”, do autor alagoano Nilton Resende.

O conto é narrado em primeira pessoa por um homem que se lembra de cenas de quando era garoto. Segundo Nilton, a ideia foi falar de “afirmação através da negação”.
“Pensei na ideia da procura pelo espaço, por se afirmar. O pai do menino nega o próprio pai para dar espaço ao próprio filho, como se fosse uma questão de física: algo tem que ir embora para que outra coisa possa ficar em seu lugar”, explica. Para escrever, tudo surgiu de um dia normal. Nilton estava comendo um biscoito e lembrou de uma brincadeira que tinha com o próprio avô. Daí, foi só começar a escrever. Reescrever. Repensar. “Esse é o conto que abre o Diabolô, inclusive, porque eu queria pegar o leitor e fazê-lo ao menos terminar de ler a primeira história", completa Resende.

Escrever literatura com tanta precisão, entretanto, custou muito tempo: Nilton já escreveu outros dois livros: O Orvalho e os dias (1998/Editora Cone sul e 2006/Edufal. A sair em 2019 pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos) e Ouriço (inédito). Um possível nome para explicar a técnica literária? da escritora Lygia Fagundes Telles. 

Leia abaixo um trecho do conto, em português:

“Mordo o biscoito que levei vagaroso à boca, e ele quebrando-se é como ossos que se esmagam. Trituro-o e imagino desfazer-se a rede desenhada em sua superfície, lembrando-me o jogo que meu avô me ensinou e para o qual me convidou em tantas tardes. Biscoito, rede, ossos triturados. Mordo e sinto mastigar o velho, as migalhas saindo pelos cantos como se uns dedos tentassem escapar.

Para acessar a versão publicada na revista Bookanista, e a versão em português clique nos links a seguir: 

 http://bookanista.com/supper/  

 https://trajeslunares.com/prosa-2/diabolo-contos/

Voltar

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.


Tenha também o seu site. É grátis!